O Hospital Mestre Vitalino (HMV) foi inaugurado em 14 de junho de 2014 e é destinado à população da 4ª e 5ª Região de Saúde, que compreendem 53 municípios. É a maior e mais moderna unidade pública do interior do Estado, com mais de 47 mil metros quadrados. O investimento para construção foi de 102 milhões de reais, com verbas do governo Federal e Estadual. Desde novembro de 2015 a unidade é administrada pela Organização Social de Saúde Hospital do Tricentenário.

O Hospital é regulado, o que significa que todos os pacientes são encaminhados pela Central de Regulação de Leitos do Estado. A unidade tem um perfil diferenciado, dentro da rede de saúde do Agreste, sendo destinado aos pacientes em estado grave. O HMV é referência em atendimento neurológico na região Agreste, e possui plantão completo diariamente para atender as demandas da região, reunindo alta tecnologia e equipe qualificada de especialistas.

Em dezembro de 2015, inaugurou um importante serviço de saúde para a região Agreste de Pernambuco com a abertura do Centro Cirúrgico destinado para cirurgias eletivas, que são aquelas em que se consegue escolher a melhor data para se realizar o procedimento. Atualmente, o HMV atende mais de 100 cirurgias por mês, gerais, oncológicas e pediátricas. Até o final de 2016, cerca de 1500 pessoas passaram por cirurgias na unidade.

Neste mesmo mês, diante do surto de zyka, tornou-se referência no diagnóstico e atendimento dos bebês com suspeita de microcefalia, ofertando 25 vagas por semana Ao todo, 520 crianças foram atendidas e 64 delas foram casos confirmados.

Em fevereiro de 2016, iniciou a oferta de cirurgias pediátricas. Por mês, a unidade passou a realizar cerca de 20 procedimentos. A abertura do serviço objetivou a diminuição da fila de espera que girava em torno de 170 pessoas.

Em julho de 2016, passou a ofertar cirurgias urológicas, atendendo cerca de 20 pacientes por mês, além de consultas nos ambulatórios nas fases pré e pós-cirúrgicas. Os procedimentos são realizados nos rins, ureteres, bexiga, uretra e órgãos genitais masculinos.

Para diminuir as filas de espera para transplantes, o Hospital montou uma equipe de organização e procura de órgãos, que busca por potenciais doadores, objetivando um aumento do número de transplantes. Além disso, desde agosto cerca de 200 pacientes que fizeram transplante renal recebem atendimento ambulatorial no HMV. Outro serviço diferencial ofertado na unidade em 2016 foi a odontologia para pacientes internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Em dezembro de 2016 ganhou os serviços de hemodinâmica de forma regulada. O objetivo foi reduzir a fila de espera pelos procedimentos cardiológicos e evitar o encaminhamento do interior para a capital, o que diminui o risco de morte dos pacientes. O espaço conta com 21 leitos, equipamentos de última geração, e tem como foco o atendimento das patologias de infarto e taquiarritmia. O Centro de Hemodinâmica funciona durante seis horas por dia, das 08h às 14h, de segunda a sexta-feira.

Em abril de 2016, o HMV ganhou um novo serviço com o atendimento especializado em gastropediatria. Por semana são 20 consultas realizadas sempre as terças-feiras, mesmo dia dos demais atendimentos ambulatoriais para as crianças com Síndrome Congênita do Zika/Microcefalia.   

Ao todo, de 20 de novembro de 2015 a 20 de novembro de 2016, foram realizados 34.779 atendimentos; 1.402 cirurgias, sendo 1185 de adultos e 217 pediátricas; além de 372.763 exames. Todos os pacientes que passaram pelo Hospital Mestre Vitalino neste período responderam  a um questionário espontâneo de avaliação de atendimento, onde 98% destes classificaram a satisfação como “Bom/Excelente” e apenas 2% como “Regular/Ruim”.Por meio de sua Ouvidoria, o índice de satisfação é alto no HMV de quem utilizou os serviços e dezenas de cartas aprovando o atendimento humanizado chegam diariamente na unidade.

No dia 22 de maio de 2017 teve início os atendimento da UTI coronária e as cirurgias cardíacas, dando mais um passo rumo aos 100% de capacidade de atendimento, faltando apenas o internamento oncológico e o centro de quimioterapia para conclusão dos serviços ofertados pela unidade. A previsão é que até o final do ano o HMV esteja em pleno funcionamento.