A equipe atende uma média de 15 a 20 pacientes por dia

 

No último sábado 13 de julho, o Serviço de Nefrologia do Hospital Mestre Vitalino (HMV), localizado em Caruaru, completou dois anos de funcionamento, serviço pioneiro em unidade pública no Agreste. A unidade oferece Terapia Renal Substitutiva (hemodiálise) para pacientes internos, e dispõe de cinco equipamentos e um quadro composto por três nefrologistas, quatro enfermeiras especializada na área, além de oito técnicos em enfermagem que atendem todos os pacientes das clínicas médicas e UTI’s.

Desde o início do funcionamento já foram realizadas 5.694 sessões de hemodiálise, uma média de 237/mês. Após o período de internação no HMV os pacientes são regulados para as clínicas de hemodiálise, o que assegura a manutenção do tratamento mesmo após a alta médica. Com a implantação da nefrologia, o HMV adquiriu autossuficiência para a prestação de atendimento para os pacientes de todo o Agreste.

A paciente Cássia Andrade já realizou transplante, mas precisou retornar ao tratamento de hemodiálise. “Passei cerca de 10 meses fazendo hemodiálise, depois recebi o transplante e fiquei oito anos e meio longe da máquina. Há dois meses precisei voltar e para mim é um diferencial poder realizar o procedimento aqui no HMV durante minha internação”, relatou.

Para celebrar os dois anos de funcionamento, a equipe de Nefrologia realizará uma comemoração amanhã (18), a partir das 14h30, no Auditório da unidade. “O HMV tem se destacado na região por ter implantado esse serviço que permitiu uma prestação de assistência nefrológica mais completa e eficiente com bons resultados clínicos. Atualmente contamos com uma equipe completamente especializada e apta para fornecer o melhor atendimento a estes pacientes renais”, explica o Dr. Rodrigo Oliveira, coordenador da nefrologia do HMV.

 

TRANSPLANTE 

Indicado para pacientes com doença renal crônica avançada, nos últimos dois anos, Pernambuco registrou um aumento de 15% nos procedimentos de transplantes de rim. Geralmente os pacientes transplantados têm uma melhor sobrevida ao longo dos anos. A hemodiálise é considerada também como um tratamento (modalidade terapêutica) para a doença renal crônica e geralmente volta a ser realizada entre 5 e 15 anos após o transplante.  

CUIDADOS COM OS RINS

Os rins são o filtro do nosso corpo, e alguns hábitos e fatores os colocam em risco, como pressão alta, diabetes, histórico familiar de doença renal crônica, tabagismo e sobrepeso. Há oito regras de ouro que te ajudam a cuidar melhor desse órgão: 1 – Praticar exercícios físicos, 2 – Ter uma alimentação saudável, 3 – Controlar o nível de açúcar no sangue, 4 – Monitorar e controlar a pressão arterial, 5 – Consultar o médico regularmente, 6 – Não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas, 7 – Consumir pouco sódio (sal) e 8 – Beber bastante água.

 

A homenagem foi um requerimento do deputado Tony Gel

 

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE) enviou voto de aplauso ao Hospital Mestre Vitalino (HMV) pelos seus cinco anos de funcionamento. No requerimento de número 612/2019, do deputado estadual Tony Gel, o voto de aplauso foi proposto como uma homenagem a unidade por sua importância para a II Macrorregional de saúde, que corresponde a 53 municípios.

A justificativa do requerimento traz os números de atendimentos durante os cinco anos nos serviços ofertados pelo HMV, além de destacar que a unidade conta com profissionais qualificados, atendimento gratuito, humano e ininterrupto em Clínica Médica, Neurologia, Cardiologia, Clínica Cirúrgica e Pediátrica.

A data foi festejada com arraial dos funcionários na tarde da última sexta (14)

 

Em 14 de junho de 2014 a cidade de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, ganhava o Hospital Mestre Vitalino (HMV). Neste período a unidade tem se destacado de forma expressiva no atendimento de pacientes da II Macrorregional de Saúde, que abrange 53 municípios. Ao longo dos cinco anos de funcionamento já somou 134.646 mil atendimentos de urgência e emergência, no ambulatório os números já totalizam quase 110 mil atendimentos médicos. 

O Centro Cirúrgico, aberto em 2016, já realizou 9.718 cirurgias, dessas 5.915 foram eletivas (programadas) e 3.803 de urgência.  A Central de Hemodinâmica que iniciou seu serviço em 2017 ofertou até o momento 2.277 procedimentos de cardiologia intervencionista e 170 cirurgias cardiovasculares. Os números dão uma ideia da importância do Hospital para a região. 

“Todos os anos nos reunimos e o sentimento que trago é de gratidão, pode parecer repetitivo, mas não tenho como chegar aqui e não agradecer pelo empenho de cada equipe que faz o Hospital Mestre Vitalino. Os resultados e conquistas obtidos são fruto disso”, ressaltou Dr. Marcelo Cavalcanti, diretor geral do HMV.


Em 2018 a unidade passou a realizar atendimentos ambulatoriais de oncologia e o serviço de quimioterapia, em alguns meses o Centro já apresenta um balanço positivo de atendimentos, com 222 consultas médicas de 1vez, 973 consultas subsequentes, 741 sessões de quimioterapia, 1151 consultas de enfermagem, 664 atendimentos psicológicos, 277 atendimentos de serviço social e 841 atendimentos de nutrição.

A data foi festejada com um arraial para celebrar os bons resultados e as conquistas ao longo dos 5 anos, e vivenciar o período junino que é uma tradição da cidade. O momento foi realizado no setor de convivência do HMV e contou com muito forró, comidas típicas,  brincadeiras e até uma quadrilha improvisada. A animação ficou por conta do cantor Douglas Leon. Na oportunidade os líderes de cada setor receberam uma placa de honraria pelos serviços prestados à unidade.

A formação teve início ontem (11) e segue até amanhã (13)

De 11 a 13 de julho, o Hospital Mestre Vitalino (HMV) está sediando um treinamento voltado para os colaboradores dos Departamentos Pessoais e Recursos Humanos das unidades administradas pelo Hospital do Tricentenário (HTRI).

O objetivo do encontro é orientar todos os participantes sobre a migração para o novo sistema de pagamento e alinhar os procedimentos realizados pelas unidades. Em média 25 pessoas estão participando da formação.

 

Forró, comidas típicas e muita animação marcaram a manhã desta quarta (12)

 

Para levar a alegria que invade as ruas da nossa cidade no mês de junho, o Hospital Mestre Vitalino (HMV) preparou um arraial para os pacientes da unidade. O evento teve início por volta das 9h da manhã e contou com tudo que se tem direito numa festa junina. Bandeirinhas, canjica, arroz doce, pipoca, bolo de milho, adereços e claro, muito forró tomaram conta do espaço que pouco a pouco foi ficando cheio de pacientes e acompanhantes.

E por aqui todo mundo sabe que é difícil não se render quando toca um forró, o pé já começa a arrastar de um lado e não tem doença que tire o calorzinho no coração que esse ritmo proporciona. De repente o arraial já estava armado,  todo mundo “empareado” dançando um bom forró. Até uma quadrilha improvisada foi feita, aí o “anarriê, anarriê, alavantu...” não deixou ninguém ficar parado.

Esse ano a Comissão de Humanização realizou também um pequeno “arraial itinerante” que levou o lanche junino para as mães da UTI pediátrica, que não conseguem sair para participar da festa, e também na emergência. O HMV segue as diretrizes recomendadas pelo HumanizaSUS que visa o acolhimento dos pacientes e acompanhantes nas unidade públicas de saúde. 

 

Localização

© 2017-2019 Hospital Mestre Vitalino. Todos os direitos reservados