A entrega foi realizada durante a solenidade de 1 ano de funcionamento do HSS

 

Na última sexta foi comemorado um ano de funcionamento do Hospital São Sebastião, na oportunidade, Dalma Maciel representou o Hospital Mestre Vitalino (HMV), que recebeu uma homenagem pela parceria com a unidade durante este ano. Durante a fala da diretora Luciana Melo, ela destacou a importância de poder contar com gestores como o Dr. Marcelo Cavalcanti, diretor do HMV.

 

 

Dos hospitais participantes apenas 3 diretores foram escolhidos pela atuação efetiva

 

Na manhã desta quinta-feira (22), o diretor geral do Hospital Mestre Vitalino (HMV), Dr. Marcelo Cavalcanti, participou de uma webconferência de compartilhamento de experiências voltadas para as práticas de segurança do paciente. A iniciativa é do Programa Paciente Seguro, do qual o HMV faz parte desde março deste ano. 

 

O Programa selecionou três diretores que possuem participação efetiva no desenvolvimento das ações para partilhar as experiências sobre o envolvimento da alta gestão no cuidado e segurança do paciente. Durante a conversa, a equipe do HMV recebeu elogios pela atuação. 

 

“Para nós esse momento configura uma oportunidade de feedback e aprimoramento das práticas que já estamos utilizando aqui na unidade, como diretor acredito ser indispensável o envolvimento de todos, inclusive da gestão, para assegurar que as práticas estão sendo cumpridas e aperfeiçoadas diariamente”, explicou Marcelo.

 

Além do HMV, o Hospital e Maternidade São José dos Pinhais (Curitiba) também contou um pouco da sua experiência nos últimos meses. As Metas Internacionais de Segurança estabelecidas pela Joint Commission International (JCI), em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) são: Meta 1 – Identificação Correta dos Pacientes, Meta 2 – Comunicação Efetiva, Meta 3 - Melhorar a Segurança dos Medicamentos de Alta Vigilância, Meta 4 – Cirurgia Segura, Meta 5 - Redução do risco de infecções associadas aos cuidados em saúde, Meta 6 – Prevenção de danos decorrentes de quedas. 

Inaugurado em 13 de junho de 2017, o Serviço de Nefrologia do Hospital Mestre Vitalino (HMV) acabou de completar dois anos de funcionamento, sendo o pioneiro em unidade pública no Agreste de Pernambuco. Neste período já foram realizadas 5.694 sessões, uma média de 237 por mês. Para celebrar a data, a equipe realizou uma comemoração ontem (18), no Auditório da unidade.

Na oportunidade o coordenador do serviço, Dr. Rodrigo Oliveira falou sobre o trabalho que vem sendo desempenhado. “Desde o início a implantação deste setor era um desafio para toda a equipe do HMV. O objetivo era que ganhássemos autonomia e conseguíssemos realizar a assistência nefrológica de forma completa. Acreditamos desde sempre que daria certo, e hoje vemos o resultado de um trabalho em conjunto que resulta diretamente na melhoria da qualidade de vida do paciente, apontada pelos bons resultados clínicos”, pontuou.

Um exemplo disso é a paciente Cássia Andrade, 25 anos. Aos 16 ela apresentou um quadro de anemia grave, com fortes dores nas costas, e ao procurar uma unidade de saúde na cidade de Bezerros, onde ela reside, veio a primeira suspeita. Cássia foi transferida para Caruaru, onde teve seu diagnóstico fechado e foi encaminhada para o Hospital Getúlio Vargas, na capital pernambucana. De imediato começou o tratamento de Terapia Renal Substitutiva (hemodiálise) que durou cerca de 10 meses até chegar o tão sonhado transplante. 

Ela conta que o procedimento foi realizado com sucesso e conseguiu ficar oito anos e meio sem precisar realizar hemodiálise. “Quando fui diagnosticada o médico me disse que o meu caso era motivado pelo fator genético, meu pai também era paciente renal crônico. Após o transplante fiquei quase nove anos sem dialisar, com alguns quadros de infecção o rim transplantado parou de funcionar, e eu voltei para a rotina da hemodiálise”, explicou.

Hoje aos 25 anos ela está internada há um mês e vinte dias no Hospital Mestre Vitalino e faz hemodiálise nas segundas, quartas e sextas. Cada sessão dura em torno de 3 horas e ao longo do dia ela segue uma dieta bem regrada com baixa ingestão de líquidos e alimentos com pouco sódio e potássio. Assim que receber alta, Cássia será regulada para uma clínica, procedimento que assegura a manutenção do tratamento.

O HMV conta com cinco equipamentos, e uma equipe que é composta por três médicos nefrologistas, quatro enfermeiras especializadas na área, além de oito técnicos em enfermagem que atendem todos os pacientes das clínicas médicas e UTI’s.O Hospital está localizado às margens da BR-104, sentido Toritama.

 

* Na imagem - Paciente Cássia Andrade, 25 anos

 

O edital dispõe de vagas para seis cargos

 

Foi lançado ontem (12), o edital de número 13/2019 do Hospital Mestre Vitalino (HMV), destinado às pessoas com deficiência. As vagas ofertadas são para assistente administrativo, assistente de farmácia, auxiliar de cozinha, auxiliar de serviços gerais, maqueiro e porteiro.

Os interessados devem enviar currículo até o dia 23 de agosto, pelo e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.), no assunto deve constar o nome completo do candidato e a função pleiteada e anexar laudo Médico validado, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência de que é acometido, com expressa referência ao Código correspondente da Classificação Internacional de Doença - CID, bem como a provável causa da deficiência.

O processo seletivo é composto pelas etapas de análise curricular, prova escrita e entrevista, todas de natureza classificatória e eliminatória. O resultado final deverá ser divulgado no dia 02 de setembro, no site institucional (www.hospitalmestrevitalino.com.br). Os candidatos aprovados e convocados serão contratados pelo regime CLT.

 

A equipe atende uma média de 15 a 20 pacientes por dia

 

No último sábado 13 de julho, o Serviço de Nefrologia do Hospital Mestre Vitalino (HMV), localizado em Caruaru, completou dois anos de funcionamento, serviço pioneiro em unidade pública no Agreste. A unidade oferece Terapia Renal Substitutiva (hemodiálise) para pacientes internos, e dispõe de cinco equipamentos e um quadro composto por três nefrologistas, quatro enfermeiras especializada na área, além de oito técnicos em enfermagem que atendem todos os pacientes das clínicas médicas e UTI’s.

Desde o início do funcionamento já foram realizadas 5.694 sessões de hemodiálise, uma média de 237/mês. Após o período de internação no HMV os pacientes são regulados para as clínicas de hemodiálise, o que assegura a manutenção do tratamento mesmo após a alta médica. Com a implantação da nefrologia, o HMV adquiriu autossuficiência para a prestação de atendimento para os pacientes de todo o Agreste.

A paciente Cássia Andrade já realizou transplante, mas precisou retornar ao tratamento de hemodiálise. “Passei cerca de 10 meses fazendo hemodiálise, depois recebi o transplante e fiquei oito anos e meio longe da máquina. Há dois meses precisei voltar e para mim é um diferencial poder realizar o procedimento aqui no HMV durante minha internação”, relatou.

Para celebrar os dois anos de funcionamento, a equipe de Nefrologia realizará uma comemoração amanhã (18), a partir das 14h30, no Auditório da unidade. “O HMV tem se destacado na região por ter implantado esse serviço que permitiu uma prestação de assistência nefrológica mais completa e eficiente com bons resultados clínicos. Atualmente contamos com uma equipe completamente especializada e apta para fornecer o melhor atendimento a estes pacientes renais”, explica o Dr. Rodrigo Oliveira, coordenador da nefrologia do HMV.

 

TRANSPLANTE 

Indicado para pacientes com doença renal crônica avançada, nos últimos dois anos, Pernambuco registrou um aumento de 15% nos procedimentos de transplantes de rim. Geralmente os pacientes transplantados têm uma melhor sobrevida ao longo dos anos. A hemodiálise é considerada também como um tratamento (modalidade terapêutica) para a doença renal crônica e geralmente volta a ser realizada entre 5 e 15 anos após o transplante.  

CUIDADOS COM OS RINS

Os rins são o filtro do nosso corpo, e alguns hábitos e fatores os colocam em risco, como pressão alta, diabetes, histórico familiar de doença renal crônica, tabagismo e sobrepeso. Há oito regras de ouro que te ajudam a cuidar melhor desse órgão: 1 – Praticar exercícios físicos, 2 – Ter uma alimentação saudável, 3 – Controlar o nível de açúcar no sangue, 4 – Monitorar e controlar a pressão arterial, 5 – Consultar o médico regularmente, 6 – Não fumar e não ingerir bebidas alcoólicas, 7 – Consumir pouco sódio (sal) e 8 – Beber bastante água.

 

Localização

© 2017-2019 Hospital Mestre Vitalino. Todos os direitos reservados